VOZ DE PERFORMANCE: É a voz utilizada, profissionalmente ou não, em apresentações (Fala ou Canto)

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
Reinaldo Kazuo Yazaki é médico otorrinolaringologista, CIRURGIÃO OTORRINO E CIRURGIÃO DE VOZ, CRM 107745, também pesquisador em Voz & Laringologia, tb dedicado à VOZ CANTADA, graduado na Escola Paulista de Medicina. Obteve Título de Médico-Residente Concursado, do Depto. de Otorrinolaringologia da Universidade Federal de São Paulo. Em exame teórico-Prático, obteve o Título de Especialista em OTORRINOLARINGOLOGIA em 2006, pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Tornou-se médico-colaborador totalmente voluntário e orientador-voluntário dos médicos-residentes da Universidade Federal de São Paulo, na área de Laringologia e Voz, Cirurgias de Voz e Câncer de Laringe, desde 2006 até 2011. Tem interesse especial por Voz Profissional e Cantada e Cirurgia Oto-Rino-Laringológica. Tem afinidade pela atuação em Cirurgia. Hoje, tem como principais atividades profissionais as cirurgias para a VOZ, das amígdalas, desvios de septo, especialmente em cantores, com experiência em TODAS as cirurgias otorrinolaringológicas, incluindo as de CANTORES profissionais. __reinaldoyazaki@yahoo.com___Consultório:11-9.83737503.

BARíTONO!!!

BARíTONO!!!
Saudades do CORAL UNIFESP !!!!

Aula dada no CONGRESSO BRASILEIRO DE OTORRINOLARINGOLOGIA, SEÇÃO DE LARINGOLOGIA E VOZ PROFISSIONAL

Aula dada no CONGRESSO BRASILEIRO DE OTORRINOLARINGOLOGIA, SEÇÃO DE LARINGOLOGIA E VOZ PROFISSIONAL
COMO AVALIAR O CANTOR LÍRICO E POPULAR EM 4 PASSOS: RUMO A UMA AVALIAÇÃO MAIS RACIONAL E DIRECIONADA PARA A QUEIXA DA VOZ CANTADA.

Coral Unifesp

Coral Unifesp
Espetáculo: " A era do rádio: 70 anos da Rádio Nacional": Casa lotada em vários dias de apresentação: + de 300 pessoas por dia!!!!!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

A verdade nua e crua da rouquidão como sintoma: Estroboscopia

A voz é um produto belíssimo da laringe e é essencial para a comunicação, profissão e para a vida cotidiana de milhões de pessoas em todo o mundo. Já se imaginou sem voz por uma semana, querendo expressar suas vontades, sem poder sequer falar uma palavra? Fisiologicamente, a voz resulta do som produzido com a vibração das pregas vocais, quando estas exercem resistência ao fluxo de ar, durante uma expiração. Este som, então, é modificado fisicamente pelas estruturas porque passa na faringe e nas cavidades oral e nasal, e articulado pela língua e pela boca, assim originando a fala e/ou o canto.
Mas nem sempre são tudo mil maravilhas com relação à saúde vocal. Infecções, câncer de garganta, uso inadequado, uso excessivo ou abusivo podem causar sérias alterações neste importante instrumento de comunicação de idéias e emoções. Basta insistir em algum desses, que se inicia a rouquidão, que começa a incomodar o falante. Como? Desafino no cantor, redução da confiabilidade do seu cliente, necessidade de faltar ao trabalho, perda fácil da voz em baladas ou torcidas, em geral são conseqüências sempre lembradas. Por vezes, até a perda do emprego, e a reprovação numa entrevista de emprego ou seleção de elenco para peças artísticas em que seria primordial o uso de uma boa voz...
Mas como descobrir a causa de uma rouquidão?
A Vídeo-Estroboscopia é o exame que permite ver o processo de vibração das pregas vocais em câmera lenta, com imagem bem ampliada e com alta definição. Para avaliar pacientes com queixa da qualidade vocal, é considerada o melhor exame disponível na atualidade, o padrão-ouro, pois permite a visão anatômica (estrutural) e funcional (vibração). É sem sombra de dúvida superior à nasofibrolaringoscopia e à laringoscopia. No entanto, é ainda pouco conhecida dos médicos gerais.

Um comentário:

Tatyana disse...

Dr Reinaldo, boa noite. Interessantíssimo seu blog. Li sua reportagem na revista Caras e surgiu uma dúvida: além dos professores, cantores, que podem fazer mau uso da voz (impostação, etc), as profissões de teleatendente, telefonistas e operador de telemarketing estão tão suscetíveis a desenvolver nódulos das cordas vocais e rouquidão? Há nessas profissões sobrecarga vocal e fadiga vocal?