VOZ DE PERFORMANCE: É a voz utilizada, profissionalmente ou não, em apresentações (Fala ou Canto)

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
Reinaldo Kazuo Yazaki é médico otorrinolaringologista, CIRURGIÃO OTORRINO E CIRURGIÃO DE VOZ, CRM 107745, também pesquisador em Voz & Laringologia, tb dedicado à VOZ CANTADA, graduado na Escola Paulista de Medicina. Obteve Título de Médico-Residente Concursado, do Depto. de Otorrinolaringologia da Universidade Federal de São Paulo. Em exame teórico-Prático, obteve o Título de Especialista em OTORRINOLARINGOLOGIA em 2006, pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Tornou-se médico-colaborador totalmente voluntário e orientador-voluntário dos médicos-residentes da Universidade Federal de São Paulo, na área de Laringologia e Voz, Cirurgias de Voz e Câncer de Laringe, desde 2006 até 2011. Tem interesse especial por Voz Profissional e Cantada e Cirurgia Oto-Rino-Laringológica. Tem afinidade pela atuação em Cirurgia. Hoje, tem como principais atividades profissionais as cirurgias para a VOZ, das amígdalas, desvios de septo, especialmente em cantores, com experiência em TODAS as cirurgias otorrinolaringológicas, incluindo as de CANTORES profissionais. __reinaldoyazaki@yahoo.com___Consultório:11-9.83737503.

BARíTONO!!!

BARíTONO!!!
Saudades do CORAL UNIFESP !!!!

Aula dada no CONGRESSO BRASILEIRO DE OTORRINOLARINGOLOGIA, SEÇÃO DE LARINGOLOGIA E VOZ PROFISSIONAL

Aula dada no CONGRESSO BRASILEIRO DE OTORRINOLARINGOLOGIA, SEÇÃO DE LARINGOLOGIA E VOZ PROFISSIONAL
COMO AVALIAR O CANTOR LÍRICO E POPULAR EM 4 PASSOS: RUMO A UMA AVALIAÇÃO MAIS RACIONAL E DIRECIONADA PARA A QUEIXA DA VOZ CANTADA.

Coral Unifesp

Coral Unifesp
Espetáculo: " A era do rádio: 70 anos da Rádio Nacional": Casa lotada em vários dias de apresentação: + de 300 pessoas por dia!!!!!

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Vozes da sociedade e suas complexidades: qual voz é mais complexa?

Seguramente, a voz mais complexa da sociedade é a voz cantada. Envolve mais de 20 notas musicais ou frequências distintas, em brilhos e timbres distintos, com volumes e intensidades também distintos, com usos sistemáticos que beiram o "desumano", em shows muitas vezes demasiado longos com mais de 40 canções de intérpretes distintos, por serem cantados somente por um ou dois cantores. 

POSTO ISTO, verifica-se que temos outras vozes de outras profissões que dependem da voz no trabalho e, nestas, as demandas ou necessidades não costumam ser diferentes, uma vez que existe a necessidade obrigatória de uso no trabalho. 

Considerando o caráter multifatorial que envolve a voz cantada, a mais complexa, AFIRMO que todas as outras vozes da sociedade tornam-se mais acessíveis ao tratamento com otorrinos e fonos, quando estes profissionais conhecem "a fundo" a fisiologia e o processo de diagnóstico e terapêutica da VOZ CANTADA. 

VALE RESSALTARMOS que muitas vezes o diagnóstico de distúrbios dos movimentos biomecânicos da laringe em cantores pode também ser aplicado em não-cantores, com muito bons resultados, já que a voz costuma ser única, mudando somente o grau de complexidade em que é utilizada em cada indivíduo na sociedade. 

ALGUNS médicos referem que deveriam alguns não-cantores passarem por aulas de canto para tornar o processo de cura e melhora mais rápido. PARTICULARMENTE, NÃO COMPARTILHO DA MESMA IDEIA, uma vez que creio que DEVEMOS SER NÓS, OS CUIDADORES, que deveríamos saber utilizar estes instrumentos do canto, como fatores de manejo, em cada caso individual, na cura e melhora daqueles que não são cantores. Aulas de canto para um EXECUTIVO ou PRESIDENTE poderiam ser dispendiosas do ponto-de-vista de tempo. DEVEMOS ser nós aqueles que sabem O QUE  utilizar.

Estou contente que em nosso país, especialmente, haja crescido tanto interesse na compreensão da FISIOLOGIA DA VOZ CANTADA, seguindo o exemplo de CHILE, em que isto será ensinado dentro de institui ções universitárias, com cursos de meses de duração. Logo, fonoaudiólogos e otorrinos chilenos colherão os frutos de tamanho investimento, POIS OS CONHECIMENTOS APROFUNDADOS DA FISIOLOGIA E BIOMECÂNICA DA VOZ CANTADA são PRIMORDIAIS na compreensão de todas as outras vozes da sociedade. Hoje, depois de 7 anos de pesquisas, posso dizer que antes de ter aprendido tudo, creio que deveria ter aprendido esta fisiologia, pois aí então TUDO TERIA SIDO MAIS FÁCIL. 



FELICÍSSIMO ANO NOVO DE 2014 PARA TODOS VOCÊS! Desejo que neste próximo ano, continuemos a promover melhoras na Vida e na Qualidade de Vida! 
Que a Arte continue a crescer em São Paulo e no Brasil, em prol da solidificação progressiva que tem ocorrido nos últimos anos, na carreira artística! 
E que, nós, deste Consultório de Otorrinolaringologia Aplicada à Voz Artística e de Performance (Profissional e Amadora), possamos continuar a cuidar, ajeitar, aprimorar, operar, tratar esses OUVIDOS, NARIZES, OUVIDOS, GARGANTAS E CORDAS VOCAIS de todos vcs, ARTISTAS E OUTROS usuários da voz no trabalho ou iniciantes! 
Um beijo caloroso e um abraço apertado com muito boas energias, 

Dr. Rei

domingo, 29 de setembro de 2013

SOBRE o trabalho do meu Consultório de Otorrinolaringologia Aplicada à Voz de Performance e Artística, nos últimos anos:


"OBJETIVOS
Ensinar, divulgar, conscientizar a população de cantores- atores de teatro musical paulistano sobre o funcionamento da laringe e do trato vocal, os cuidados de saúde vocal, mecanismos de prevenção de lesões e a necessidade de acompanhamento médico, fonoaudiológico e com professor de canto.

MATERIAL E MÉTODO
Levantamento realizado com material de prontuários do consultório de otorrinolaringologia frequentado principalmente por cantores profissionais com atuação profissional de ponta e seleta, discussões com especialistas internacionais da área, aulas frequentadas nos congressos internacionais da área de voz, registros de mais de 700 cantores profissionais e amadores, em imagens de exames laringoscópicos, estroboscópicos e avaliações fibroendoscópicas do canto.

DESENHO DO ESTUDO
Relato de experiência, associado a evidências científicas e hipóteses em teste. Descrição científica dos cuidados de saúde vocal.

RESULTADO
A repetição da observação dos diversos fenômenos de postura e movimentos laríngeos e do trato vocal nos permite encontrar dados ou comportamentos biomecânicos que não são congruentes com saúde e outros que representam proteção vocal. A associação de doenças como alergia ou refluxo podem ser fatores que reduzem a eficiência na performance, bem como as infecções, que se associaram a lesões agudas, como a inchaços pontuais nas pregas vocais. Cantores tiveram a tendência de subestimar lesões em suas pregas vocais, por crerem que se tratava de refluxo. A automedicação contribui para a performance, mas associou-se a efeitos colaterais graves em alguns pacientes, como aumento de peso, aparecimento de estrias na pele, dores de estômago muito fortes, fraqueza geral e perda de disposição, e até lesões nas pregas vocais. Ao contrário do que a literatura aponta, não observamos efeitos colaterais vocais que pudessem se atribuídos ao uso de medicações antibióticas, analgésicas, antiinflamatórias, corticóides, desde que tomados alguns cuidados médicos.

CONCLUSÕES parciais
É de suma importância valorizar o aparecimento do declínio na boa qualidade vocal, que não retorna à normalidade de forma espontânea. Esta é a principal forma de detectar alterações vocais iniciais e leves, que podem melhorar com o cessar-atrito vocal, ou seja, com o repouso vocal associado a medicações e alguns cuidados. Também, permite que tratemos logo aquela infecção ou alergia que afetaria ou impediria a importante performance profissional alguns dias depois, que poderia trazer danos à reputação do performer e/ou do espetáculo, bem como redução de ganhos diversos."
(Direitos de Reinaldo Kazuo Yazaki, Reinaldo Yazaki, Dr.)

segunda-feira, 15 de abril de 2013

FELIZ DIA MUNDIAL DA VOZ!!! 16 ABRIL 2013


VOZ é SER. EXPRESSÃO do nosso MELHOR, já que ninguém está aqui só por estar. MELHOR que podemos CANTAR, ATUAR, RECITAR, PROCLAMAR, PALESTRAR, AMAR, ENCANTAR, XAVECAR, ENSINAR, JULGAR, ABENÇOAR, CULTUAR, APRENDER, REPETIR, CANTARATUAR, PRODUZIR, CRIAR, COORDERNAR, ORIENTAR, EXPRESSAR, ADORAR, ACARICIAR, ENDIREITAR, PROTEGER, IDENTIFICAR, ASSOCIAR e inúmeras outras ações de nosso cotidiano pessoal e profissional que tornam nossas vidas mais belas e VÁLIDAS ou VALIOSAS! FELIZ DIA MUNDIAL DA VOZ!!! MENSAGEM DO DR. REI PARA TODOS AQUELES QUE GOSTAM E CUIDAM DE SUAS VOZES!!! (RY)

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Levantamento dos Motivos de Consulta no Consultório

Cada vez mais, percebo que o médico otorrino que tb se dedica ao tratamento da Voz Profissional e Cantores torna-se a referência para as urgências em voz/ouvidos/nariz/garganta dos usuários profissionais da voz. Mais da metade dos pacientes do Consultório de Otorrinolaringologia e Laringologia & VOZ vêm por causa de resfriados/gripes/sinusites/laringites/traqueítes/pneumonias/faringites/amigdalites/otites, seguidos de alergia/refluxo e, felizmente (para os cantores), em último lugar (e que assim continue), lesões em pregas vocais. Assim, temos a chance de aproveitar a consulta de urgência para introduzir todos os cuidados preventivos de lesões em pregas vocais!!!!! :) :) :)

terça-feira, 9 de abril de 2013

DICA LARINGOLÓGICA DO DIA: Voz com alteração recente VERSUS Desejo/Obrigação de Performance:

Um dos fatores de maior risco para a prática da Voz Profissional, seja esta cantada ou falada, é a performance sob condições laríngeas ou cordais do profissional, que têm determinado redução da qualidade da voz e/ou necessidade de esforços ou ajustes para que se torne possível. 
Se há alteração ("Peso", Aeração, Timbre Agravado, Esforço de Apoio, Esforço de Laringe, Tensão Fonatória, Redução da Projeção, Incapacidade de Pianos, Quebra em Agudos, ou outros) de voz de início recente, O IDEAL É DEFINIR-SE O DIAGNÓSTICO, feito por laringoscopia, por médico otorrinolaringologista. POR QUÊ? 

Na presença de uma lesão/inflamação nova em pregas vocais, qualquer tentativa de CANTO OU FALA com maiores projeções, "metais" ou volumes, PODERÁ ocasionar lesões piores que, ou necessitarão de repousos mais demorados da voz na profissão, ou até de CIRURGIA DE VOZ, para mais rápida recuperação. O medo não é a cirurgia, que tem excelentes resultados em mãos experientes, mas da OBRIGAÇÃO DE REPOUSO VOCAL PÓS-OPERATÓRIO, sem possibilidade de trabalhar com a voz, por períodos variáveis que, sim, levam a complicações profissionais maiores para o usuário daquela voz. O objetivo de nosso consultório é evitar esses estresses maiores, por acompanhar essa população, de perto. (RY)

domingo, 24 de março de 2013

Dificuldade no canto. Júri. Culpa da voz falada ou da voz cantada? Julguem!

"Voz falada e voz cantada são uma unicidade no cantor. Os graves da fala devem pertencer, em grau de contato glótico, aos graves da tessitura cantada que, por sua vez, devem assemelhar-se neste mesmo contato, aos agudos e sobreagudos da mesma.
Quebras ou má qualidade de 1a passagem ou 2a passagem no canto, ambas, vêm quase sempre acompanhadas de vozes faladas muito eloquentes, fortes e eficientes. Este peso todo se transpõe para as outras 13 notas mais agudas e não permite mesclar registros em prol de um canto com menos esforço. 
A CULPA É DA FALA? Não, NA MINHA OPINIÃO, não se pode culpar a fala ou o canto, afinal, se a fonoterapia trabalhar somente as 5 notas musicais da fala, de dentro de uma parte pequena da tessitura, provavelmente, A DIFICULDADE NÃO SE SANARÁ. Homogeneidade de 18 notas é necessária no cantor. 18 notas deverão ser trabalhadas, para o equilíbrio dessa voz.
Essa é minha experiência em relação à valorização de culpa em vozes cantada ou falada. AMBAS são uma única. A principal causa de falha de outros tratamentos antes de chegar às nossas equipes de tratamento vocal, foi trabalhar somente a voz falada, qdo na verdade, homegeneidade era a necessidade." (RY)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Sobre minha opinião no uso de corticóides inalatórios para tratar as pregas vocais.

Nas rouquidões agudas em cantores, os CORTICÓIDES INALATÓRIOS parecem ter mais efeito psicológico que real. Não confio muito no seu uso, e tive DOIS pacientes que pioraram por causa deste. Cantores que se auto-medicam acabam vindo buscar ajuda qq hora por causa de complicações, muitas vezes com necessidade de operar ou de ficar muito mais tempo de repouso obrigatório de voz. É o que minha experiência tem mostrado. O IDEAL é que o médico dedicado à voz esteja SEMPRE DISPONÍVEL para "EXAMINAR e DIAGNOSTICAR" no CANTOR ao MOMENTO da NECESSIDADE e com MÏNIMA ANTECEDÊNCIA em relação ao USO PRINCIPAL DA VOZ no palco ou na gravação. (RY)